Acesso à Internet pelos céus

Os megamilionários Elon Musk (Tesla, SpaceX, …) e Jeff Bezos (Amazon), competem para dar acesso à Internet pelos céus, através de redes baseadas em satélites de órbitas baixas. Tal permitiria acesso generalizado à Internet em toda a parte, incluindo em zonas pouco cobertas por outras tecnologias, assim como em barcos e aviões, etc. A Microsoft também tem planos para aumentar o acesso à Internet em zonas pouco servidas dos EUA. Finalmente, tanto a Google como o Facebook estão a fazer grandes investimentos para expandir o acesso em África. Ver mais detalhes em:

https://www.internetsociety.org/blog/2019/07/the-week-in-internet-news-amazon-microsoft-look-to-expand-internet-access/

https://www.bloomberg.com/news/articles/2019-05-15/musk-gets-jump-start-on-bezos-launching-spacex-s-own-satellites

https://www.smartcitiesdive.com/news/amazon-asks-fcc-to-launch-satellites-for-broadband-service/558266/

https://qz.com/africa/1656262/google-facebook-building-undersea-internet-cable-for-africa/

Se por um lado se tratam de boas notícias para o incremento da acessibilidade da Internet, não deixa de dar que pensar que esse esforço esteja tão concentrado em companhias privadas que já são gigantes incontornáveis das suas áreas de negócio.

Princípios para uma utilização de dados de forma responsável

A utilização responsável de dados significa aplicar princípios éticos de transparência, justiça e respeito na forma como tratamos os dados que afetam a vida das pessoas. Essa forma de utilização, pode proteger nossa privacidade e autonomia e construir a confiança necessária para que a inovação digital cresca de forma a beneficiar todos os utilizadores.

Cada vez mais nossas atividades geram dados que são recolhidos e usados ​​de forma que não vemos e não podemos controlar. Embora os dados sejam usados ​​para análises e publicidade com o objetivo de melhorar nossas experiências como consumidores ou utilizadores de serviços públicos, a sua utilização também pode gerar constragimentos na privacidade, autonomia e confiança na economia digital como um todo.
Leia o artigo completo aqui.

Tertúlia – Debate “A Nova Geopolítica na Era da Inteligência Artificial”

Vai ter lugar no próximo dia 11 de Julho entre as 17 e as 19 horas, na Universidade Europeia em Lisboa (Carnide) uma Tertúlia-Debate sobre “A Nova Geopolítica na Era da Inteligência Artificial” organizada pela PASC, Plataforma das Associações da Sociedade Civil – Casa da Cidadania e a APDSI, através do seu Grupo dos Futuros onde o presidente da ISOC PT faz parte do painel de convidados e participará defendendo as posições da Internet Society sobre este assunto, nomeadamente as que figuram no relatório que foi discutido nas últimas reuniões abertas de associados.

Por razões de espaço no auditório, as inscrições são gratuitas mas obrigatórias através da página do evento.

VAMOS DEBATER O FUTURO, participe!

Reuniões abertas do Capítulo Português da Internet Society subordinadas ao tema “Moldar o Futuro da Internet”

A direção do Capítulo Português da Internet Society vem pela presente convocar todos os associados e amigos da nossa associação para duas reuniões abertas, de debate, subordinadas ao tema Shaping the Future of the Internet (“Moldar o Futuro da Internet”). Ambas as reuniões, a realizar no Porto e em Lisboa, têm a mesma ordem de trabalhos.

1 – Discussão do relatório da Internet Society: “Consolidation in the Internet Economy — How will consolidation impact the Internet’s technical evolution and use

Neste relatório sobre o estado da Internet no ano de 2019, analisa-se a crescente consolidação económica em curso na infraestrutura, nos serviços de acesso e nos serviços aplicacionais fornecidos sobre a Internet e quais os efeitos que esta consolidação tem e poderá vir a ter na Internet e na Sociedade em geral.

Relatório disponível aqui.

2 – Discussão da proposta de Projeto-Lei “Carta de Direitos Fundamentais na Era Digital” que deu entrada na Assembleia de República

Este Projeto-Lei propõe uma carta de direitos dos cidadãos na Sociedade da Informação, cujo sustentáculo mestre é a Internet e os sistemas que nela se suportam. Foi-nos solicitado pelos promotores, e em particular pelo Deputado José Magalhães, associado honorário do nosso capítulo, opiniões para melhoramento da proposta. Dado que o objeto principal da mesma aborda facetas que vão ao encontro de princípios gerais que a Internet Society partilha, a direção decidiu atender à solicitação e ouvir as contribuições dos associados. O Deputado José Magalhães disponibilizou-se para estar presente, em ambas as reuniões, para ouvir as nossas opiniões e prestar os esclarecimentos que lhe forem solicitados.

Proposta do Decreto-Lei disponível aqui. 

3 – Discussão de propostas de ações do Capítulo

Neste ponto serão discutidas as propostas de trabalho que a direção tem em curso, assim como propostas de ações apresentadas pelos associados presentes.

Local, data e hora das reuniões

Porto – Dia 7 de Junho pelas 17h30 no Departamento de Ciências da Computação da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, sala FC6 1.06 — Rua do Campo Alegre, 823,  4169-007 Porto

Edifício assinalado neste mapa.

Lisboa – Dia 21 de Junho pelas 17h30 no Departamento de Engenharia Informática do Instituto Superior Técnico, Universidade do Lisboa, salas 0.19 e 0.20 do Pavilhão de Informática II. Av. Rovisco Pais 1, 1049-001 Lisboa

Localização no Google Maps.     Edifício 07 no mapa aqui disponível.

Carta da direção sobre a Iniciativa Portuguesas do Fórum da Governação da Internet 2019

A direção do nosso capítulo enviou a 28 de maio de 2019 a todas as entidades organizadoras das Iniciativas Portuguesas do Fórum da Governação da Internet uma carta sobre a participação do Capítulo Português da Internet Society no evento do corrente ano. Esta foi a primeira e única afirmação pública da direção sobre este assunto.

Lisboa, 28 de maio de 2019

Assunto: Iniciativas Portuguesas do Fórum da Governação da Internet
Às entidades organizadoras das Iniciativas Portuguesas do Fórum da Governação da Internet

Por imperativos de agenda e outras iniciativas em curso, não é possível ao Capítulo Português da Internet Society (ISOC-PT) colaborar na organização da Iniciativa Portuguesa do Fórum da Governação da Internet 2019, em moldes semelhantes ao que vinha fazendo desde a criação desta iniciativa, ou das suas antecessoras, em Portugal.

Independentemente da disponibilidade para participação na organização de futuras iniciativas, em moldes a acordar, estamos desde já disponíveis para intervir em 2019 em qualquer sessão, para que sejamos convidados, seja na sessão de abertura ou outras, sobre temas para os quais disponhamos de competências específicas a nível da direção do capítulo e dos seus colaboradores mais diretos. Também nos é possível trazer para essas sessões contribuições sobre temas relevantes para o desenvolvimento da Internet, que têm sido objeto de inúmeras tomadas de posição públicas pela Internet Society e pelo seu capítulo nacional, e que estão disponíveis nos seus sites: https://www.internetsociety.org/key-issues/ e http://isoc.pt

Aproveitamos a oportunidade para manifestarmos a nossa estranheza pelo facto de o nosso logótipo não figurar na página de entrada do site https://governacaointernet.pt/index.html pois essa página não está explicitamente identificada com a iniciativa de 2019. Na verdade, o ISOC-PT participou de forma muito ativa em todas as anteriores sessões públicas das iniciativas IGF Portugal. Que na iniciativa de 2019 não coloquem senão os logótipos das entidades organizadoras deste ano é compreensível. Já não é compreensível que na página de entrada não figurem os logótipos de todas as entidades que têm participado regularmente na organização dos eventos e que por maioria de razão possam vir a participar no futuro.

Estranhamos também que o site exiba em todas as páginas a indicação “Copyright da DNS.PT”, menção que provoca confusão e que, tanto quanto julgamos saber, é incorreta, pois aos diferentes participantes em todos os eventos em que também participámos, incluindo as suas tomadas de posição e mensagens com que contribuíram, não foi apresentado nenhum contrato de cedência de direitos de Copyright. Pela nossa parte estamos absolutamente seguros disso.

Com os nossos melhores cumprimentos e desejos de êxito para as iniciativas promovidas pela Iniciativa Portuguesa do Fórum da Governação da Internet em 2019, subscrevemo-nos atenciosamente,

Pela direção do Capítulo Português da Internet Society